Divergência entre Prefeitura e Cooperativa gera transtorno no Transporte Escolar

O Vereador Joeli do ônibus (PSC), durante a última reunião na Câmara, levantou a voz em defesa dos funcionários contratados pela Sudeste Brasil Cooperativa de Transporte para prestar serviço de transporte escolar no município de Paracatu.

0 121

Joeli disse que não vê motivo na contratação da Cooperativa porque não há suporte para o trabalho dos transportadores e ainda está causando problemas para a comunidade e para os transportadores.
 “-Eu me coloco na situação dos transportadores e dos monitores que estão trabalhando e já estão há 2 meses sem receber. Nós pensávamos que iam trazer melhorias para os transportadores, mas piorou a situação de mais de 100 pais de famílias que estão enfrentando esse trabalho dia após dia,” lamentou Joeli.
O parlamentar reclamou também da falta de acesso aos contratos e documentos relacionados a contratação da Cooperativa pela prefeitura de Paracatu e afirmou que irá avançar e suspeita de que “sujeira está sendo jogada pra baixo do tapete.”
“-Eu vou ter que buscar medidas judiciais para ter acesso a ata que a Prefeitura de Paracatu aderiu para contratação desta empresa porque alguma coisa está sendo escondida. Se necessário porque não fazer uma CPI da Sudeste, uma CPI da Saúde,” alertou.
Ao final de sua fala, Joeli apresentou uma gravação de uma monitora que presta serviço para o município através da Cooperativa, afirmando que“além de não manter o pagamento em dia, estamos ha 2 meses sem receber e quando a gente procura a Cooperativa eles tratam a gente com falta de educação. É uma humilhação o que nós estamos passando. A crianças e os motoristas precisam da gente e somos vítima de um grande descaso. A gente precisa de ajuda!” Clamou a monitora que não foi identificada.
Nossa reportagem fez contato com a administração da Cooperativa, que tem sede em Belo Horizonte e a atendente, não sabia sobre o contrato com a Prefeitura de Paracatu, mas depois de um tempo nos passou o contato daquele que segundo ela era o Gestão do contrato, o Sr. Alisson.
Em contato com o Sr. Alisson, este afirmou que não sabia do que se tratava e pediu que buscássemos o gestor do contrato na cidade e forneceu então um outro telefone, pedindo para “tentarmos falar porque só havia celular.”
Fizemos contato então com o representante da Cooperativa no município,Sr. Marcos Tanure, que negou a dívida e afirmou que Cooperativa está custeando os monitores “para preservar a parceria, mas que não é sua responsabilidade o pagamento.”
-Quem tem que pagar os monitores é a Prefeitura, mas a Sudeste vem pagando pra não criar problema. A Prefeitura aderiu uma ata que não tem serviços de monitor então, tem que fazer aditivo para incluir o monitor. A Sudeste vem pagando mas vai querer ser ressarcida,”explicou Marcos Tanure.
Sobre o possível atraso, o representante da empresa afirma que há um equívoco. “-Eles falam em 2 meses de atraso, mas na verdade são só 15 dias por causa do calendário e hoje muitas pessoas já estão recebendo,” concluiu.

Fonte: Paracatu.net

Get real time updates directly on you device, subscribe now.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.